Diabetes – cuidados com o pé diabético

Diabetes e o pé diabético

É nos pés que nos apoiamos; são eles que nos levam de um lado para o outro. Dependemos deles para não dependermos de ninguém…

Sim, escrevo sobre os pés. São eles que nos ligam a terra, simbolizando raízes, trocando energia.

A palavra pé, que vem de “podos”, em grego, relaciona-se à palavra “paidos”, que quer dizer criança. Cuidar dos pés de alguém é cuidar da criança que o habita, cuidar de nossas raízes, do começo de tudo. 

Todas as pessoas devem aprender a cuidar dos pés, os portadores de Diabetes devem aprender a cuidar com muito mais afinco, pois complicações frequentes, como pé diabético, podem ser evitadas com prevenção.

A Diabetes facilita o aparecimento de infecções através da Neuropatia Diabética (doença dos nervos periféricos) e de problemas devido à má circulação do sangue.

Como todas as partes do corpo, os pés necessitam de aportes apropriados de sangue e com ele de oxigênio. Se isso não acontece, as infecções, as doenças vasculares e as doenças decorrentes da falta de circulação podem ocorrer.

Diabetes e o pé diabético, sinais que podem significar problemas

  • Dormência nos pés;
  • Ausência ou não crescimento de pelos nos pés e pernas;
  • Micoses inter digitais;
  • Presença de feridas e secreções;
  • Pele seca, escamosa ou brilhante;
  • Pontas dos pés arroxeadas, cianóticas;
  • Aparecimento de rachaduras nos calcanhares;
  • Perda de sensibilidade;
  • Formigamento ou dor nos pés;
  • Presença de calos em pontos de pressão dos pés;
  • Aparecimento de cãibras em repouso ou ao caminhar.

Diabetes e o pé diabético, roteiro simplificado para cuidado dos pés:

  • Examine seus pés todos os dias: preste atenção em mudanças de coloração e temperatura; olhe cada um dos dedos e entre eles; procure por infecções, cortes, bolhas, calos, feridas. Se não conseguir fazer isso sozinho, peça ajuda a um familiar ou amigo, use um espelho para olhar a sola dos pés.
  • Para a higienização dos pés, use água morna. Nunca verifique a temperatura da água diretamente com os pés. Faça isso com o cotovelo. Deixe a água cair devagar, passe o sabonete delicadamente e enxágue. Na hora de secar, não esfregue, enxugue entre os dedos, aplique creme hidratante ou óleo sobre a pele do dorso, nunca entre os dedos, na sola dos pés e em feridas e cortes. Evite talco, pois pode causar ressecamento da pele.
  • Aproveite para cortar as unhas após o banho, pois elas estarão amolecidas. Faça isso em um local com boa iluminação. Se não puder ver as unhas ou apresentar problemas de sensibilidade nos pés, peça alguém para fazer por você. Dê preferência a cortadores de unhas ou a tesouras com pontas redondas, pois a possibilidade de se machucar diminui bastante. Corte as unhas retas, nunca corte os cantos das unhas, assim você evita a unha encravada e muitas infecções. Não use objetos afiados e pontiagudos, pois eles podem machucar. Não corte calos com gilete, no máximo use lixas próprias. Consulte um podólogo para tratar os calos e consulte um médico em caso de micose nas unhas e entre os dedos.
  • Nunca ande descalço! Lembre-se que quem é portador de Diabetes pode apresentar diminuição da sensibilidade dos pés, o que facilita o trauma e o aparecimento de feridas e infecções indesejadas.
  • Na hora de escolher o calçado, vá sempre na parte da tarde, que é quando o pé está do tamanho certo e não vai ficar apertado depois. O uso do calçado de tamanho adequado, evita calos, bolhas, joanetes, feridas e infecções. Procure sapatos macios, sem costuras, sem bico fino ou com salto muito alto; evite sandálias que tenham tiras ou fivelas.
  • Em relação às meias, prefira aquelas que deixam a pele dos pés respirarem. Troque as meias quando sentir que estão molhadas de suor. Prefira aquelas de algodão e que não tenham costuras. Evite as meias apertadas e as meias de nylon.
  • Caminhar é a vocação dos pés e seu melhor exercício! Procure caminhar com um calçado adequado e confortável e em superfície plana. Evite caminhar se apresentar feridas ou dor e procure o seu médico nesse caso.
  • Evite cruzar as pernas quando estiver sentado, pois piora a circulação do sangue nos pés. Se for viajar, evite ficar sentado por muito tempo. Levante-se, ande um pouco. Se isso não for possível, estique os pés, movimente-os para cima, para baixo e para os lados, mova os dedos, faça círculos com os pés. Hidrate-se adequadamente durante as viagens, isso evita desidratação e embolias.
  • Quando estiver sentado use um banquinho para manter os pés elevados, isso auxilia o retorno do sangue, fazendo com que as toxinas sejam eliminadas mais rapidamente.
  • Lembre-se também que tudo isso funcionará muito melhor se estiver acompanhado de um bom controle glicêmico!!! O cuidado com os pés começa com o uso adequado da medicação e com o cumprimento da dieta alimentar adequada a cada pessoa.

 

Talvez você queira saber também sobre:

 

Bibliografia:

  • Consenso Brasileiro de Diabetes, Ministério da Saúde;
  • Diabetes Care Manual, McNeely Pediatrics Diabetes Center;
  • Diabetes, o que fazer em situações especiais, Dr Walter José Minicucci.
Share on Facebook0Email this to someoneShare on Google+0Tweet about this on Twitter0