Estratégias para o controle da Pressão Alta

Pressão alta: modificação no estilo de vida.

Medidas comprovadamente eficazes:

  • Redução do peso corporal;
  • Redução da ingestão de sódio;
  • Maior ingestão de alimentos ricos em potássio (feijões, ervilha, vegetais de cor verde-escuros, banana, melão, cenoura, beterraba, frutas secas, tomate, batata inglesa e laranja);
  • Redução do consumo de bebidas alcoólicas;
  • Exercícios físicos aeróbicos regulares (30 minutos de caminhadas diárias);
Pressão alta? Faça caminhadas.

Pressão alta? Faça caminhadas.

 

Medidas associadas para controle da pressão alta:

  • Parar de fumar;
  • Controlar o colesterol;
  • Promover suplementação de cálcio;
  • Controlar o diabetes;
  • Promover uma dieta rica em fibras;
  • Adotar medidas antiestresse (meditação, massagem, ioga, tai chi chuan, pescaria, trabalhos manuais, trabalhos voluntários, etc);
  • Evitar drogas que elevem a pressão (antiinflamatórios, anticoncepcionais, antidepressivos, anti-histamínicos, cocaína, moderadores de apetite, etc).

 

Princípios gerais da dieta para pressão alta:

Importância da dieta na pressão alta

Importância da dieta na pressão alta

  • Adotar uma dieta baixa em calorias, balanceada, evitando o jejum e as dietas “milagrosas”;
  • Consumir menos de 300 mg de colesterol por dia. O consumo de gorduras saturadas não deverá a ultrapassar a 10% do total de gorduras ingeridas;
  • Redução do consumo de sal a menos de 6g/dia (1 colher das de chá);
  • Evitar açúcar e doces;
  • Preferir ervas, especiarias e limão para temperar os alimentos;
  • Ingerir alimentos cozidos, assados, grelhados ou refogados;
  • Utilizar alimentos ricos em fibras (grãos, frutas, cereais integrais, hortaliças e legumes preferencialmente crus);
  • Evitar: alimentos industrializados (ketchup, mostarda, shoyo, caldos concentrados); embutidos (salsicha, mortadela, lingüiça, presunto, salame, paio); conservas (picles, azeitona, aspargo, palmito); enlatados (extrato de tomate, milho, ervilha); bacalhau, charque, carne seca e defumados; aditivos (glutamato monossódico) utilizados em alguns condimentos e sopas empacotadas; queijos em geral;
  • Evitar alimentos ricos em colesterol e/ou gorduras saturadas:
    •  Porco (banha, carne, bacon, torresmo);
    •   Leite integral, creme de leite, nata, manteiga;
    •   Lingüiça, salame, mortadela, presunto, salsicha, sardinha;
    •   Frituras com qualquer tipo de gordura;
    •   Frutos do mar (camarão, mexilhão, ostras);
    •   Miúdos (coração, moela, fígado, miolos, rim);
    •   Pele de frango, couro de peixe;
    •   Dobradinha, caldo de mocotó;
    •   Gema de ovo e suas preparações;
    •   Carne de gado com gordura visível;
    •   Óleo, leite e polpa de coco;
    •   Azeite de dendê;
    •   Castanhas, amendoim;
    •   Chocolates e derivados;
    •   Sorvete.
Obesidade e pressão alta

Obesidade e pressão alta

 

Assim, torna-se evidente que quase todas as medidas não medicamentosas dependem de mudanças no estilo de vida de forma permanente. Por isso, o tratamento da pessoa portadora de hipertensão arterial se enriquece quando diferentes profissionais estão envolvidos além do médico, como o nutricionista, o terapeuta, o enfermeiro, o professor de educação física, etc.

Vale ressaltar que é de fundamental importância o envolvimento dos familiares do hipertenso na busca das metas a serem atingidas pelas modificações do estilo de vida. Mesmo porque, quando temos um hipertenso na família, todos os outros membros devem se preparar para colocar em prática medidas de vida saudável precocemente, pois, a chance de também desenvolver hipertensão arterial é muito grande.

 

Tratamento medicamentoso da pressão alta

O Tratamento com medicamentos deve ser individualizado para cada caso, devendo ser sempre o médico a fazer a modificações e ajustes.


Não pare de tomar o medicamento por conta própria. Lembre-se que a hipertensão arterial é uma condição traiçoeira, que não causa sintomas e que pode levar ao infarto ou ao derrame.

Leia mais…
Técnica de medida da pressão arterial

 

Fonte:

III CONSENSO BRASILEIRO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL

Sociedade Brasileira de Hipertensão

Sociedade Brasileira de Cardiologia – Departamento de Hipertensão Arterial

Sociedade Brasileira de Nefrologia – Departamento de Hipertensão Arterial

Share on Facebook0Email this to someoneShare on Google+1Tweet about this on Twitter0