Leucopenia e anisocitose: Respostas da Doutora

Respostas da Doutora Sonia feita por usuários de Orientações Médicas, sobre:

 

Leucopenia e anisocitose / Vitamina E / Córtex Pré-frontal / Retinopatia Serosa Central / Tratamento da labirintite / Função do pâncreas

 

Leucopenia e anisocitose

Leucopenia não é uma doença, ela representa uma diminuição dos glóbulos brancos do sangue e está associada a algumas doenças que podem ser graves, porém, algumas pessoas têm um número menor de glóbulos brancos sem que isso signifique uma patologia. Tudo vai depender das condições em que esta leucopenia está ocorrendo. Anisocitose é uma variação no tamanho das hemáceas (glóbulos vermelhos do sangue), que fica maior que o normal. Quando discreta pode não ter nenhum significado clínico, mas pode também acompanhar a maioria das anemias em seu início.
 

Vitamina E

A vitamina E é encontrada em amêndoas, azeite de oliva, peixes (salmão), leite, abacate, cereais integrais, noz, castanhas, azeitona, óleo de soja e de girassol, milho, gema de ovo, agrião e alguns vegetais.
 

Córtex Pré-frontal

Em realidade, são córtices pré-frontais direito e esquerdo. São estas áreas extremamente complexas e ainda há muito por ser desvendado. Pelo que já se sabe parece que os córtices pré-frontais podem ser responsáveis por aquilo que caracteriza e distingue a espécie Homo sapiens sapiens (nós, humanos) de todas as outras espécies que habitam o Planeta Terra. O pensamento, o planejamento de ações e a conseqüente inibição ou expressão destas ações, ou seja, a execução, decisão, noções de tempo e espaço, a personalidade de cada um, a própria consciência (como a entendemos), e outras podem ter direta relação com os córtices pré-frontais. Antonio R. Damásio, um eminente neurocientista português, radicado nos Estados Unidos da América, e autor do livro “O erro de Descartes: razão e emoção” defende que tanto o planejamento como a decisão que fazemos estão diretamente relacionados com razão e emoção. Ou seja, segundo ele, é pouco provável que exista a “razão pura”, independente de emoções.
 

Retinopatia Serosa Central

A retinopatia serosa central é doença pouco comum, que afeta a mácula, região central da retina (lente do olho) e costuma atrapalhar a visão repentinamente. Pessoas sem outras doenças oculares podem sofrer do problema. Apesar de ter causas desconhecidas, a retinopatia serosa central tem forte relação com estresse e ansiedade. Acredita-se que o uso de corticóide inalatório também provoque a doença. Na maioria dos casos, a cura é espontânea e os sintomas regridem entre quatro e oito semanas. Aproximadamente um terço dos pacientes apresenta recorrência do problema. Se o líquido não for reabsorvido em poucas semanas, apenas o laser resolverá o problema.
 

Tratamento da labirintite

Não existe um tratamento “adequado” para labirintite. Existe um tratamento adequado para a pessoa que apresenta certos sintomas que podem ser labirintite. Para se chegar ao tratamento mais adequado é preciso consultar um profissional de saúde, ser examinado e, se for necessário, fazer exames, pois existem várias causas de labirintite. Ai sim, descobrindo-se a causa se poderá tentar um tratamento. O que fazer enquanto não consulta: Evite os maus hábitos. O cigarro, o álcool e o excesso de cafeína podem influenciar negativamente na tontura e no zumbido; faça exercícios físicos. Está cientificamente provado que o exercício bem indicado melhora os níveis de colesterol e triglicérides no sangue, diminui o risco de doenças cardíacas, previne a obesidade e fortalece a musculatura. Evita problemas metabólicos e, portanto, a tontura. A caminhada é a melhor opção; fracione a sua dieta. Procure alimentar-se a cada três horas, evitando grandes quantidades de comida. O excesso de sal e açúcar não são recomendados. Abuse das frutas, legumes, leite e verduras; tome muito líquido. São recomendados dois litros de água por dia. A maior filtração renal elimina as toxinas acumuladas pelo organismo; RELAXE. O stress piora qualquer condição orgânica, inclusive a tontura. Procure ter alguns momentos reservados para o seu lazer.
 

Função do pâncreas

O pâncreas é uma glândula mista ou anfícrina – apresenta determinadas regiões endócrinas e determinadas regiões exócrinas (da porção secretora partem dutos que lançam as secreções para o interior da cavidade intestinal) ao mesmo tempo. As chamadas ilhotas de Langerhans são a porção endócrina, onde estão as células que secretam os dois hormônios: insulina e glucagon, que atuam no metabolismo da glicose. A função é de regulação da glicose no sangue por intermédio da ação desses dois hormônios.
 

Referências:

  • Programa de Educação a Distância de Medicina Familiar e Ambulatorial – PROFAM – 8 módulos, entre 2002 e 2003, diferentes gráficas, Argentina.
  • Medicina Ambulatorial: Condutas de Atenção Primária Baseadas em Evidências, 3ª edição, Bruce B. Duncan, Artmed, 2004
  • Medicina Interna, Harrison, 2 volumes, 8ª edição, Guanabara Koogan, 1980, Rio de Janeiro
  • Blakbook Clínica Médica, Ênio Roberto Pietra Pedroso e Reynaldo Gomes de Oliveira, 1ª edição, Blakbook Editora, 2007, Belo Horizonte
  • Guide Familial des Medecines alternatives est ládaptation française de Family Guide to Alternative Medicine, publie par The Reader’s Digest Association Limited, London, 1991.
  • Manual de Matéria Médica Homeopática, sintomas-guia e características dos principais medicamentos (clínicos e patogenéticos), Willian Boericke, 1997, Robe Editorial, São Paulo
  • Patologia do Trabalho, René Mendes, Editora Atheneu, 1995, Rio de Janeiro
  • Manual de Medicina de Família e Comunidade, Ian R, mcWhinney, 3ª edição, 2010, Artmed, Porto Alegre, RS

Share on Facebook0Email this to someoneShare on Google+2Tweet about this on Twitter0

Talvez você se interesse também por...