Uso Prudente de Medicamentos

Stephen Barrett, M.D.

Uso prudente de medicamentos

Uso prudente de medicamentos

A segurança e a eficácia do uso de uma droga depende da compreensão do regime da droga pelo paciente, seus riscos e benefícios, e as precauções necessárias associadas com cada medicamento. Em muitos casos, a chave para o uso eficaz e seguro de medicamentos é uma comunicação aberta com que os prescreveu. Os seguintes itens deveriam interessar a você.

Há alguma instrução especial?

Algumas vezes alimentos específicos, bebidas alcoólicas, ou outros remédios reagirão desfavoravelmente com o remédio recém prescrito. Assegure-se que seu médico esteja a par de outros medicamentos, suplementos alimentares ou ervas que você esteja usando.

Quais efeitos colaterais podem ocorrer?

Todas as drogas têm possíveis efeitos colaterais. Se ocorrerem, em alguns casos não é necessário que seja feito alguma coisa e a medicação pode continuar sendo utilizada. Em outros, uma mudança de dosagem ou uma medicação diferente será aconselhável. A ocorrência de certos efeitos colaterais seria uma razão para interromper o uso da droga. Pode ser útil estar a par dos efeitos colaterais comuns e o que fazer se eles ocorrerem. Um dos efeitos colaterais mais importante é a sonolência — uma característica comum dos anti-histamínicos, sedativos, e drogas para problemas mentais e emocionais. Pessoas que estejam tomando alguma destas drogas não deveriam dirigir um carro até estarem certas que as drogas não irão interferir com sua capacidade de dirigir com segurança. Informações sobre os efeitos colaterais podem ser obtidas através de seu médico ou farmacêutico ou consultando uma referência fidedigna.

Por quanto tempo a droga deve ser tomada?

Algumas drogas são necessárias somente até os sintomas cessarem, enquanto outras devem ser usadas por um período especificado previamente. Por exemplo, analgésicos podem ser interrompidos quando sua dor cessar, mas antibióticos são tipicamente prescritos para 7 a 14 dias para erradicar os germens que persistem mesmo que os sintomas da infecção tenham desaparecido.

O que eu faço se me esquecer de uma dose?

Em alguns casos será aconselhável compensar a dose para manter um nível sangüíneo adequado de um medicamento. Em outros casos não irá importar, e dobrar a dose aumentará a chance de efeitos colaterais.

Está disponível informação escrita sobre a droga?

Alguns médicos oferecem folhetos de instrução sobre drogas prescritas comuns. Um folheto junto ao pacote pode estar disponível com o farmacêutico que avia a prescrição, mas estes tendem a ser excessivamente técnicos. Excelentes livros de referência estão disponíveis, e informações abrangentes logo estarão disponível nos sites das farmácias on-line.

Está disponível uma forma genérica ?

Drogas genéricas normalmente custam menos e são tão potentes quanto as marcas famosas. Alguns médicos as prescrevem rotineiramente, mas outros ou pensam que elas são inferiores ou simplesmente não se dão o trabalho. Com alguns medicamentos para doenças graves pode haver uma razão médica para evitar um genérico. Mas na maioria dos casos não há nenhuma razão para que não possam ser utilizados.

Deveria ser desnecessário questionar seu médico sobre todas estas coisas cada vez que você receber uma prescrição. Um bom médico comunicará a maioria destas informações quando o remédio for prescrito. Mas não espere ou exija uma discussão longa sobre efeitos colaterais e complicações incomuns de drogas comuns. Se você acha que seu médico não está informando o suficiente, uma pergunta feita de modo diplomático pode levar ao esclarecimento.

Vários tipos de artifícios podem ajudar as pessoas a tomar seus medicamentos apropriadamente. Esses incluem calendários de medicamentos, registros de instrução individual, frascos com código de cores, cartelas de empolas, bandejas calendário, pacotes plásticos auto-lacráveis nos quais são escritos as datas e os horários da medicação, frascos especiais que registram quando são abertos, e frascos ou caixas que apitam quando está na hora de tomar uma dose.

Quando viajar, tente pegar remédio suficiente para satisfazer suas necessidades. Carregar uma prescrição extra pode ser aconselhável no caso de perder sua bagagem ou seu suprimento acabar. Se um recipiente a prova de crianças for difícil de usar, peça ao farmacêutico um que seja fácil de abrir. [Nota: Algumas dessas sugestões não estão disponíveis no Brasil]

Precauções de Segurança no uso de medicamentos

Se você vai a mais de um médico, conte a cada deles sobre quaisquer medicamentos prescritos e por conta que você está usando. É uma boa idéia manter um registro com você. Também diga ao seu médico sobre qualquer reação medicamentosa adversa que você teve.
Detenha-se à dosagem prescrita. Tomar doses extras pode aumentar as chances de reações adversas sem aumentar o benefício. E não pare de tomar um remédio porque você acha que não está funcionando. Algumas drogas têm que ser usadas por diversos dias ou mesmo semanas antes que seus efeitos sejam aparentes. Ao invés, contate seu médico para instruções. Mantenha um registro diário de todas as drogas que estão sendo usadas, especialmente se os horários do tratamento são complicados.

Lembre-se que álcool e sedativos podem multiplicar o efeito de cada um sobre o cérebro. Não misture álcool e comprimidos para dormir, agentes ansiolíticos, ou quaisquer outras drogas que tenham efeitos sedativos. Se você bebe regularmente, assegure-se que seu médico saiba a respeito.

Mantenha suas drogas em suas embalagens originais assim não ocorrerá nenhuma confusão sobre qual droga é qual.
Lembre-se que pode ser arriscado compartilhar remédios com os outros. Quando prescrevem medicamentos, os médicos levam em conta a idade, peso e sexo do paciente, outros medicamentos que estão sendo tomados, e outros fatores. O que é bom para uma pessoa pode não ser bom para outra.

Limpe seu armário de remédios periodicamente. Jogue fora quaisquer remédios que tenham sua data de validade vencida ou que tenham mudado de cor, odor, ou textura. Jogue no vaso sanitário assim ninguém mais poderá usá-los. Drogas prescritas para uma doença prévia ou para outra pessoa não deveriam ser usadas sem antes checar com o médico. A droga pode ter perdido sua força ou mudado sua composição, ou pode estar disponível uma droga mais apropriada para a doença.

Ligue para o médico prontamente se ocorrer uma reação incomum à droga.

Considere comprar todos os seus produtos prescritos em uma farmácia com um computador que os rastreia e alerta ao farmacêutico possíveis interações medicamentosas adversas. Isto pode ter um valor protetor se seu médico deixou passar uma interação significativa. Entretanto, este benefício potencial deve ser pesado contra a vantagem de comprar em lugares que vendem mais barato para economizar dinheiro. [N.T.: Até onde eu sei esse tipo de farmácia não existe no Brasil, onde um computador informa caso haja alguma interação medicamentosa entre os produtos que estão sendo adquiridos.]

Share on Facebook0Email this to someoneShare on Google+0Tweet about this on Twitter0