Orientações Médicas
Prevenção é saúde. Artigos médicos, textos e notícias.

O que é Medicina de Família e Comunidade?

A Medicina de Família e Comunidade é uma disciplina acadêmica, científica e uma especialidade clínica orientada para a Atenção Primária à Saúde, com seus próprios conteúdos educacionais, investigação, base de evidência científica e atividades clínicas.

Assim, ela é uma especialidade médica com foco privilegiado na Atenção Primária à Saúde e, por isso, é considerada especialidade estratégica na conformação dos sistemas de saúde.

Cabe à Medicina de Família e Comunidade, partindo de um primeiro contato, cuidar de forma longitudinal, integral e coordenada, da saúde de uma pessoa, considerando seu contexto familiar e comunitário.

Saúde de família e comunidade

 

Conceitos importantes:

Primeiro contato é o primeiro ponto de encontro médico com o sistema de saúde, proporcionando um acesso aberto e ilimitado aos usuários e lidando com todos os problemas de saúde, independentemente do ciclo de vida em que o indivíduo se encontra, ou seja, da idade, sexo ou qualquer outra característica da pessoa em questão.

Longitudinalidade é o estabelecimento de uma relação com o usuário ao longo do tempo, através de comunicação médico-paciente efetiva. Para que seja efetiva, os cuidados prestados deve estar em consonância com as necessidades do usuário.

Integralidade é garantia de assistência em todos os níveis de densidade tecnológica e articulação entre promoção, proteção e recuperação da saúde do indivíduo. A integralidade é uma ferramenta que permite entender a magnitude do processo saúde-doença e visualizar como sua amplitude extrapola o campo biológico.

A Coordenação do cuidado pretende utilizar de forma eficiente os recursos de saúde, através do trabalho com outros profissionais no contexto dos cuidados de saúde primários, bem como através da gestão da interface com outras especialidades, assumindo um papel de advogado do paciente sempre que necessário.

Além disso, a Medicina de Família e Comunidade é centrada na pessoa, na família e na comunidade. Possui um processo de tomada de decisões determinado pela prevalência e incidência das doenças na comunidade e, gere, simultaneamente, problemas agudos e crônicos, além de assistir a afecções que se apresentam de forma indiferenciada num estádio precoce da sua história natural.

Fica evidente, então, que a Medicina de Família e Comunidade é parte inseparável da Atenção Primária à Saúde. Como os sistemas de saúde são formados por níveis complementares entre si, ou seja, primário, secundário e terciário. As demais especialidades se concentram nos dois últimos níveis.

Segundo diversos estudos, o manejo adequado de 50 diagnósticos resolve mais da metade dos casos apresentados pela população de uma determinada região. Embora freqüentes esses diagnósticos nem sempre são de fácil manejo e exigem muitas vezes alto grau de complexidade para serem solucionados.

Um dos maiores médicos de família de todos os tempos, ainda vivo, é o canadense Ian Mc Whinney que define as quatro competências dessa especialidade: 1) solução de problemas não diferenciados; 2) competências preventivas; 3) competências terapêuticas (de problemas freqüentes); 4) competência de gestão de recursos. O médico de família é, então, um gestor em nível local e gerência à saúde da pessoa, da família e da comunidade. A sua atuação é considerada definitiva para que o sistema como um todo funcione de forma eficiente.

Objetivos da Medicina de Família e Comunidade

Baseada em princípios, conceitos e recomendações internacionais formalizadas pela Organização Mundial dos Médicos de Família – WONCA – a especialidade Medicina de Família e Comunidade tem por objetivos:

  • Atuar, prioritariamente, no âmbito da Atenção Primaria à Saúde, a partir de uma abordagem biopsicosocial do processo saúde—adoecimento;
  • Desenvolver ações integradas de promoção, proteção, recuperação da saúde no nível individual e coletivo;
  • Priorizar a prática médica centrada na pessoa, na relação médico-paciente, com foco na família e orientada para comunidade, privilegiando o primeiro contato, o vínculo, a continuidade e a integralidade do cuidado na atenção à saúde;
  • Coordenar os cuidados de saúde prestados a determinado indivíduo, família e comunidade, referenciando, sempre que necessário, para outros especialistas ou outros níveis e setores do sistema, mas sem perda do vínculo;
  • Atender, com elevado grau de qualidade e resolutividade, no âmbito da Atenção Primária à Saúde, cerca de 85% dos problemas de saúde relativos a uma população específica, sem diferenciação de sexo ou faixa etária;
  • Desenvolver, planejar, executar e avaliar, junto à equipe de saúde, programas integrais de atenção, objetivando dar respostas adequadas às necessidades de saúde de uma população adscrita, tendo por base metodologias apropriadas de investigação, com ênfase na utilização do método epidemiológico;
  • Estimular a resiliência, a participação e a autonomia dos indivíduos, das famílias e da comunidade;
  • Desenvolver novas tecnologias em atenção primária à saúde;
  • Desenvolver habilidades no campo da metodologia pedagógica e a capacidade de auto aprendizagem;
  • Desenvolver a capacidade de atuação médica, relevando seus aspectos científicos, éticos e sociais.

WONCA

A WONCA é a entidade internacional que congrega as sociedades da especialidade (e os especialistas) no mundo – inclusive a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade/SBMFC – reunindo e tratando das questões da especialidade, elaborando e recomendando a adoção de parâmetros técnico-científicos em nível da formação e atuação profissional. Em parceria com a Organização Mundial de Saúde, promove Congressos Internacionais e Sub-Regionais envolvendo os países de acordo com a sua distribuição geográfica. Além disso, publica regularmente documentos de caráter consultivo, informativo e normatizador que visam aprimorar a especialidade, promovendo uma atuação mais uniforme nos diferentes países do mundo.

A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade/SBMFC é a sociedade nacional filiada tanto à WONCA e quanto à CIMF – Confederação Iberoamericana de Medicina Familiar – regional que na WONCA representa as regiões da Íbero-América e da América Latina.

Texto adaptado de documentos da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade.

Comentários estão fechados.